O que você procura?

segunda-feira, 27 de maio de 2013

{Ginecologia} Blues Puerperal ou Melancolia Pós-parto. Afinal, o que é isso?


Quem já teve filho, sabe. Tem um período após o nascimento do bebê que a mamãe chora por qualquer motivo. Essa história se repete em vários lares, independentemente da classe social, estabilidade familiar e etc. Isso tem nome e se chama Blues Puerperal. Mas, afinal, que turbilhão emocional é que acomete nós mamães? Dra. Lizarda Félix traz as respostas.

* RBM = Roteiro Baby Maceió

RBM: O que é Blues Puerperal?
Dra. Lizarda: O blues puerperal, também chamado de disforia pós parto, acomete as mulheres nos primeiros dias após o nascimento do bebê, com pico no quarto , quinto dia pós parto, e desaparece espontaneamente, no máximo em 2 semanas, sem necessidade de tratamento medicamentoso.


RBM: Todas as mamães vão passar por isso?
Dra. Lizarda: É bastante frequente o blues puerperal nas mulheres pós parto, podendo ser detectada em até 80% das mulheres, incluindo sintomas de depressão leve mas de resolução espontânea. As mães de primeira viagem são mais acometidas e ficam meio “pra baixo” quando se deparam com a nova experiência seja pela insegurança, medo de não saber cuidar e educar ou mudança na rotina.

RBM: Quais os principais sintomas?
Dra. Lizarda: A mamãe apresente choro fácil, alterações de humor, irritabilidade e comportamento hostil para com familiares e acompanhantes.

RBM: Como a família pode ajudar?
Dra. Lizarda: Os familiares devem dar apoio emocional, carinho, atenção  e ajudá-la com a criança. O apoio do companheiro é muito importante.

RBM: Quando as mamães ou os familiares devem se preocupar?
Dra. Lizarda: Até 2 semanas pós-parto os sintomas costumam desaparecer sem medicamentos. Persistindo por mais de 2 semanas e com sintomas mais graves como: redução da qualidade de vida, isolamento social, ataques de ansiedade, choro fácil, perda de interesse na vida, insegurança excessiva, irritabilidade, fadiga, sentimento de culpa e inutilidade, de incapacidade de cuidar do bebê, medo de machucar, relutância em amamentá-lo, desligamento emocional do bebê e de outros familiares, podem caracterizar depressão pós parto (DPP) , indicando necessidade de acompanhamento com profissional de saúde mental. Na verdade, as pacientes que desenvolvem depressão pós parto já são pacientes com quadro de depressão durante ou antes da gestação, o que aumenta o fator de risco pra DPP. Nem toda paciente que tem blues necessariamente vai ter a depressão pós-parto.

 Dra. Lizarda Félix - CRM/AL 5338. Ginecologista e Obstetra.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante! Obrigada!