O que você procura?

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Piolhos! É, eles ainda existem!



Piolhos e lêndeas são um assunto meio chato, tipo verrugas ou micose, ninguém quer falar sobre isso, o que suscita muitos mitos e dúvidas a respeito desses malfeitores sanguinolentos!

Piolhos são parasitas, alimentam-se de sangue e se reproduzem colocando ovos (as lêndeas) perto do couro cabeludo do hospedeiro (geralmente crianças). Qual a novidade? Vamos aprender que não é vergonha nenhuma “pegar” piolho, é incrivelmente normal! Nunca entendi por que as pessoas falam sobre isso com constrangimento... Acho que quase todo mundo teve piolhos em algum momento da infância ou até da vida adulta (eu, particularmente, fui a criança mais piolhenta de todos os tempos e olhem que minha mãe era cabeleireira e rigorosa com limpeza! Ninguém está livre), aquelas fases em que os meninos cortavam o cabelo muito curto e as meninas usavam trança... 

Mais uma informação básica: as lêndeas são os ovos do piolho, elas são postas perto do couro cabeludo por que precisam de calor para eclodir, então esqueça aquela desculpa de que você nunca teve piolhos, apenas lêndeas! Se alguma lêndea esteve num fio de cabelo ela foi posta ali por um piolho. As lêndeas são difíceis de serem eliminadas pois são postas com uma espécie de cola, um cimento pra deixar o ovo preso no cabelo e, apesar de ter vasta experiência (pessoal e profissional), a noticia não é boa... as lendeas podem ser mortas, mas só serão removidas uma a uma, fio por fio (e haja paciência!). A noticia boa é que eles morrem fácil, ensino já!

Como evitar? Você pode ler em muitos sites que prender os cabelos e não usar pentes de outra pessoa vão te livrar dos vampiros mirins, mas a verdade é que, ao não ser que você seja careca, sempre existe um contato pessoal que pode transmitir o parasita. Crianças são frequentemente mais afetadas por que interagem de maneira mais visceral, abraçam muito, dividem brinquedos e isso as torna mais suscetíveis a contaminação. Piolhos não tem superpoderes, não voam e não pulam dez metros! Eles são transmitidos via contato direto, encostar cabeça com cabeça, mão contaminada no cabelo, essas coisas bem comuns no nosso cotidiano (quantas vezes por dia você cumprimenta alguém com dois beijinhos?)

Vamos exterminar essa praga? Existem duas maneiras: a farmacológica e a caseira! Para usar shampoos antipiolho (a maneira mais eficaz ao meu ver) procure um médico para prescrevê-lo, são baratos e fáceis de usar, basta deixar no cabelo úmido agindo por alguns minutos e depois enxaguar e usar um pente fino para remover os piolhos. As dicas caseiras? São inúmeras! É importante lembrar que muitas não tem comprovação científica, mas é aquela coisa que passa de mãe para mãe. Vou citar algumas... misture um copo de vinagre em um litro de água e embeba o cabelo nessa mistura por uma hora, mantenha o cabelo envolto numa toalha branca e repita se necessário. Outra mistura improvável (mas funciona!) é misturar passar refrigerante a base de cola e deixar o cabelo molhado também envolto numa toalha branca por uma hora e depois enxaguar. Em adultos o uso de coloração com amônia ou o uso de prancha quente também mata piolhos e lêndeas rapidamente!

Mas pegar piolho tem um lado bom, a parte de catar! Que delicia é alguém catar piolho na nossa cabeça (é o carinho preferido do meu pai, de mentirinha, mas ele ama!), então deixe seu preconceito de lado! Piolho só é sinal de sujeira se for crônico, se não for tratado, casos esporádicos são perfeitamente aceitáveis. Acontece nas melhores famílias...


Layanne Azevedo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante! Obrigada!