O que você procura?

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Damas de honra e pajens, uma lisonja necessária.

(Por Layanne Azevedo) 

Foto: Pinterest

Seu filho foi convidado para ser pajem de um casamento? Sua filha vai ser florista? Ah que mundo lindo o de damas de honra... Existe um prazer imensurável em ver um filho (a) sendo o centro das atenções e demonstrando sua desenvoltura social num evento! 


Existem dois tipos de pessoas: as que se sentem honradas quando a filha recebe um convite para ser dama de honra e... bom, só existe esse tipo mesmo! Primeiro por que é um sinal de carinho e amizade, segundo porque os pequenos sempre adoram essas fantasias de príncipe e princesa e por último porque faz um bem enorme para o ego ver a cria impecável arrancando suspiros por onde passa!

Existe uma parte burocrática por trás desse glamour mirim. Vestidos, sapatos e tiaras não se escolhem sozinhos e muito menos se pagam por encanto! Qual a etiqueta social exigida nesses casos? Há algum tempo era praxe a noiva escolher os trajes, pagar por eles e a criança levar a roupa pra casa como um mimo; também era praxe a família da noiva pagar a festa e a família do noivo dar a casa...Mas as coisas mudaram e no cenário damas/pajens, não foi diferente!
Hoje, as noivas convidam as mães para ajudar a decidir o tipo de vestido para cada criança (pois é, criança também tem tipo físico, exatamente igual a adulto e não é justo vestir uma menina robusta com um vestido cheio de babados que cai como uma luva na prima magérrima e vai parecer uma árvore de natal branca nela). As mães devem perguntar, sem rodeios, quem vai pagar o que, se o traje será alugado, se a noiva irá comprar os sapatos, se os cabelos devem ser feitos na mesma cabeleireira, enfim, não deixar brechas para mal entendidos. É muito feio dizer em cima da hora que não vai mais participar do cortejo quando a noiva e o cerimonial já tem tudo programado e a nubente já assumiu compromissos a respeito do vestido ou fraque. Também é perfeitamente aceitável negar um convite se isso foge do seu orçamento ou da sua realidade social. Não vale espremer as contas do mês por uma noite de glamour e nem faltar trabalho para sucessivas provas de vestido ou ajustes de terno. Se a noiva convidou sua cria é por que vocês tem intimidade suficiente para chegar a um acordo razoável ou declinar o convite sem deixar clima chato, afinal, eu nunca vi gente estranha convidando crianças para cortejos nupciais em supermercados ou parques de diversões! Isso acontece dentro de um contexto de consideração mútua e amizade.

Deu tudo certo? Você se entendeu com a noiva e seu filho vai ser a cereja do bolo no dia do casamento? Leve uma muda de roupa... Pode parecer estranho indicar uma troca de roupas depois de tanta despesa e trabalho mas as crianças se irritam com o volume do vestido ou limitações de movimento dos ternos. Tire milhares de fotos enquanto estão vestidos e durante a festa vista-os com uma roupa mais confortável e fresca. Eles irão curtir a festa e provavelmente irão dormir no seu colo com uma roupa mais macia! Essa dica vale muito para crianças pequenas, quanto mais velhas forem, maior o grau de tolerância à brocados e rendas ou gravatas e coletes!

Foto Pinterest

Eu já disse pra registrar o momento? Pois registre de novo! Fotos e vídeos nunca são demais para pais que querem assistir mil vezes o filho levando as alianças dos noivos ou a filha espalhando pétalas pela igreja... 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante! Obrigada!